Guia de Solução de Problemas Warrick

Série ELECTRONICS 16, 26, DF, 17, 27,37

1. O relé não muda de estado quando o líquido toca as sondas. (A condição mostra que os eletrodos estão secos)

  • Verifique as conexões dos eletrodos – existem curtos?
  • Verifique a fiação entre as sondas e o relé para ver se está correta e tem continuidade.
  • Verifique os eletrodos para se certificar de que eles estão limpos.
  • Certifique-se de que o líquido está realmente tocando os eletrodos.
  • A voltagem da fonte corresponde à voltagem do controle?
  • Você tem a sensibilidade correta para o líquido que está usando? O relé pode não ser suficientemente sensível para o meio.
  • O meio é condutivo? Hidrocarbonetos (óleo, gasolina, solventes) não são condutivos.
  • Qual é a carga que você está comutando? Se a carga exceder o valor nominal do controle, os contatos podem ter se fundido.
  • Verifique se a distância entre o tanque e o local onde o controle está montado excede os parâmetros de distância (consulte a tabela p. E2)
  • Certifique-se de que o eletrodo alto não esteja a mais de 4 pés do eletrodo de referência do solo. Se o cliente tiver uma aplicação como essa, ele pode posicionar um segundo eletrodo de referência próximo à sonda alta. Basta conectar outra sonda de referência à referência de terra. Isso se aplica também se o cliente estiver usando o controle como serviço de nível de ponto único (usando apenas as sondas H e G) se a referência de terra for maior do que 4 pés, o sinal será perdido.

2. O controle dispara em falso (a condição mostra que os eletrodos estão molhados)

  • Certifique-se de que a referência de terra não esteja em curto com os eletrodos de sensoreamento. Esse curto pode acontecer:
      A. Em aplicações com formação de espuma – a espuma atua como meio e faz uma ponte entre uma sonda e a outra. – solução: adicionar isolamento termoencolhido aos eletrodos.
      B. Água no conduíte.
      C. Uma sonda tocando a outra.
  • Você tem a sensibilidade correta para o líquido que está usando? O relé pode estar muito sensível para o meio.
  • Qual é a carga que você está comutando? Se a carga exceder o valor nominal do controle, os contatos podem ter se fundido.
  • Verifique a fiação entre as sondas e o relé para ver se está correta e tem continuidade.
  • Verifique se há curtos intermitentes causados pelo acúmulo no isolador na parte inferior do encapsulamento da sonda.

3. O controle dispara sozinho de forma intermitente ou esporadicamente

  • Os fios de controle que se conectam aos eletrodos ou ao interruptor de nível compartilham conduíte com fios de alta potência? ou seja, >120 volts? Em caso positivo, isso pode criar um campo eletromagnético. Se esse campo for criado, controle pode ficar suscetível a disparo em falso. Solução: Passe a fiação do controle com cabo blindado. Melhor ainda, passe um conduíte dedicado de metal.
  • Algum dos fios de controle passa próximo a alguma coisa que tenha potencial de geração de campo eletromagnético? em caso positivo, mova-o.
  • O controle está montado em um painel que está usando um VFD (drive de frequência variável)? VFDs são controles de bombas que podem criar muito campo eletromagnético. Se forem usados VFDs, mova o controle para longe deles.
  • Há ocorrência de sloshiong no tanque? Como um flutuador, o líquido pode subir e descer na sonda, fazendo com que ela ligue e desligue.

PROCEDIMENTOS DE TESTE PARA TODOS OS COMPONENTES ELETRÔNICOS

é importante isolar o controle das conexões e dos eletrodos. Com o isolamento, você pode determinar se o problema é no controle ou se é no sensor. Para fazer isso, desconecte os fios que passam para a conexão e para os eletrodos. Desconecte os fios dos contatos que passam para a carga – são Comum, N.C. e N.O.

Agora, você está pronto para testar o controle. Tenha em mente o tipo de controle que você tem, qual é o modo de operação e se é um serviço de nível diferencial ou um serviço de nível de ponto único. Verifique se os controles têm retardos e certifique-se de que o cliente espera tempo suficiente para que o controle mude de estado.

O teste a seguir simula um meio que cobre e descobre os eletrodos conectando os terminais correspondentes. Ao conversar com o cliente, é útil ter à sua frente o boletim de IO para corresponder aos números de terminais apropriados.

Controle de Modo Direto de Ponto Único / Série 26 / ou lado LWCO do Controle DF – Usa eletrodos G e H

  1. Com um fio de jumper, conecte entre o terminal G e o terminal H – o controle deve energizar.
  2. Remova o jumper. O controle deve desenergizar.

Controle de Modo Direto de Nível Diferencial – Usa os eletrodos G H e L (geralmente usados em aplicações de bombeamento)

  1. Com um fio de jumper, ligue entre o terminal G e o terminal L. Nada deve acontecer. Isso prepara o controle para o travamento.
  2. Mantendo o primeiro jumper entre G e L, posicione outro fio de jumper do terminal L para o terminal H. O controle deve algora ser energizado.
  3. Remova o jumper do terminal H para L. O controle deve permanecer energizado.
  4. Remova o jumper do terminal L para G. O controle deve ser desenergizado.

Controle de Modo Inverso de Ponto Único - Usa eletrodos G e H

  1. Assim que este controle tem alimentação conectada a L1 e L2, o controle deve ser energizado. Com um fio de jumper, conecte entre o terminal G e o terminal H – o controle deve ser desenergizado.
  2. Remova o jumper. O controle deve ser energizado.

Controle de Modo Inverso de Nível Diferencial – Usa eletrodos G H e L (geralmente usados em aplicações de enchimento)

  1. Assim que esse controle tiver alimentação conectada a L1 e L2, o controle será energizado. Com um fio de jumper, ligue entre o terminal G e o terminal L. Nada deve acontecer. Isso prepara o controle para o travamento.
  2. Mantendo o primeiro jumper entre G e L, posicione outro fio de jumper do terminal L para o terminal H. O controle deve agora ser desenergizado.
  3. Remova o jumper do terminal H para L. O controle deve permanecer desenergizado.
  4. Remova o jumper do terminal L para G. O controle deve ser energizado.